Implante Capilar

Sou candidato(a) ao procedimento?

Mais de 50% dos homens apresenta algum grau de calvície acima dos 50 anos.
Como regra geral, quanto mais cedo se inicia a queda capilar, mais severa tende a ser a calvície. Teorias de que a calvície é causada por má circulação no couro cabeludo, caspa e até mesmo pelo uso excessivo de chapéu já foram provadas incorretas.
Alopécia androgenética (AAG) é o nome que se dá à calvície masculina, mas que ocorre também nas mulheres, com uma apresentação diferente. Este tipo de queda de cabelo tem origem genético-hormonal, ou seja, há um histórico familiar de resposta diferenciada ao hormônio masculino que se liga a receptores existente nos folículos (cabelos) de áreas específicas da cabeça e leva a uma alteração no ciclo do cabelo, transformando fios “normais” em fios mais finos, curtos e menos pigmentados, até fazer com que desapareçam completamente.
Por essa razão a idéia de aumentar o fluxo sangüíneo (que está normal) para o couro cabeludo como tratamento para a calvície é completamente insensata já que, a miniaturização e queda dos fios acontece por ação de hormônios, que circulam na corrente sangüínea e chegariam em ainda maior quantidade aos receptores nos folículos.
O real tratamento da calvície masculina inclui o tratamento tópico, feito com a substância chamada minoxidil em forma de loção, o uso oral da finasterida ou dutasterida e o transplante capilar.

O procedimento

O procedimento é feito retirando-se fios da parte de trás da cabeça e transferindo-os, um a um, para a área calva, aumentando a densidade, ou seja, o que o transplante capilar faz é redistribuir os fios existentes no couro cabeludo da própria pessoa. Ao entender que o transplante capilar utiliza seu próprio cabelo, redistribuindo-o a partir de áreas de maior densidade (doadoras), fica mais fácil entender as possibilidades e limitações da cirurgia. Além disso outros fatores influenciarão os resultados, como a espessura dos fios, ondulação, textura e cor do cabelo.
Com a técnica FUE os fios são retirados individualmente, deixando pequenos furinhos entre os fios que cicatrizam em poucos dias (cerca de 4 a 7 dias), evitando-se uma cicatriz linear na parte de trás da cabeça. Essa técnica é ideal para os homens que preferem usar os cabelos mais curtos. Para os que usam os fios mais longos e não cogitam em deixa-los temporariamente curtos, a técnica FUT é a alternativa pois a cicatriz linear ficará escondida pelo cabelo mais comprido.

Cuidados após o procedimento

É importante evitar exposição solar, calor e atividade física nos primeiros 5 dias. Você será orientado para isso, mas já no dia seguinte poderá lavar os cabelos. O cabelo “novo”, transplantado, cai ao redor de duas a três semanas após a cirurgia. Lembre-se de que esta condição é NORMAL e temporária. Após a queda dos fios transplantados levará cerca de 2 meses até que você volte a ver os fios, isso porque eles crescem numa velocidade de aproximadamente 1 cm por mês.

Quanto tempo vai durar o meu resultado?

Para sempre. Como os fios transplantados são retirados de áreas da cabeça que não sofrem com a calvície eles permanecerão no local implantado até o final da vida – claro, se você não fizer nenhuma cirurgia no local (como retirada de lesões).

Saiba mais sobre